Vem se informar, vem curtir. Mexe o mouse, fica à vontade! Seu lugar também é aqui! Informação, diversão, cultura num click. Produzido pelo CEDUC.
Rubra terça-feira, 29 de junho de 2010

Pessoal, jovens da favela da Rocinha (RJ) discutiram o ECA, fazendo um documentário e entrevistando a população local.

Olha só: http://www.youtube.com/watch?v=tMuBJbs5T1M

Reportagem realizada por jovens da favela da Rocinha sobre o estatuto da criança e do adolescente. Oficina coordenada por Vicente Duque Estrada e Marilisse Navarro.

Jefferson Cristian Machado; sexta-feira, 30 de abril de 2010


O ser humano em sociedade vive a mentira, não importa a região do planeta, não importa o sexo ou a cor. O SER humano é, por si só, uma mentira em seu próprio mundo.
Carros, casas, tênis, silicone, beleza, poder, amor...  Fetiches! Os anseios humanos mais comuns indubitavelmente são ligados ao teatro social inerente às comunidades de interação humanas. A mentira humana é contada e fomentada, não é questionada e é simplesmente admitida pelos próprios humanos, inutilizando-os e transformando-os em algo que além de efêmero por natureza, também renega artificialmente sua própria capacidade e necessidade de compreensão de sua existência em troca de uma fantasia que os reprime através de manipulação a viver para e pelo consumo de matéria manipulada cientificamente com o intuito de servir-los (coisas/bens/objetos) mas que exercem o papel de compor seus vazios interiores procedentes da falta de conhecimento sobre si mesmos.
"Todos os seres humanos desejam, por natureza, conhecer".
Aristóteles
O que Aristóteles não releva nesta afirmação é a alienação e  a cegueira projetada e fomentada pelos detentores de poder manipulatório já amplamente difundidos em sua época,.

E tu, caro interlocutor, és uma mentira? Se for, rebele-se! Busque sua verdade e não viva por viver.





J.C.




Texto compartilhado com Pilar do Jefferson: http://www.pilardojefferson.blogspot.com

Chega Mais! quarta-feira, 28 de abril de 2010

Olá!
O mês de abril está acabando, a nossa enquete acabou... E as mentiras, também acabaram?
Bom, já acho pretensão demais supor isso. Mas, com certeza algumas pessoas refletiram sobre o assunto!
E entre essas reflexões, 18 pessoas chegaram mais, opinaram e votaram. Então, Sobre a mentira é...

Melhor falar a verdade, independente da situação.
10 (55%)
Prefiro mentir, para não magoar alguém.
1 (5%)
Depende. O que é verdade e o que é mentira?
7 (38%)

Parece que a maior parte 55% (10 votos) acreditam no poder da verdade e acham melhor ser sincero independente da situação! Agora, se for parar pra pensar o que é verdade e o que é mentira, 38% (7 votos) preferem filosofar um pouco mais sobre o assunto, pra poder aplicar esses conceitos. E um chegado, 5%, prefere mentir se for para não magoar alguém.

Nosso agradecimento especial à vocês, porque é no singular de cada voto, de cada opinião, que mudamos (e melhoramos) o plural!

Rubra sexta-feira, 23 de abril de 2010

Bom dia, boa tarde, boa noite!
Que seja bom, pessoal!
Falando em bom, em coisas boas...

Caio Blat foi nosso entrevistado da semana, falando sobre honestidade!


Não, eu não vou mentir pra vocês.
Mas, o Canal Futura tem um programa com o Jairo Bouer, o "Ao Ponto Remix" onde tem um convidado famoso a cada programa e um tema a ser discutido.
Em um programa desses, Jairo Bouer, Caio Blat e mais uma turma jovem conversaram sobre a mentira! Conversaram também sobre cobrança dos pais, responsabilidade, honestidade... E afinal, qual a nossa parte nisso tudo?

Como estávamos assistindo... Vamos dar um gostinho para vocês!

video

E quem quiser conferir o programa inteiro, é só acessar: http://www.tvcultura.com.br/aoponto/remix/programas/496
É o link desse episódio do Ao Ponto Remix, com a primeira e a segunda parte! A segunda é a que fala mais sobre a mentira.


" Ele diz que, em vinte anos de carreira, o ator Caio Blat representou a juventude no cinema, no teatro e na televisão. Para o ator, cada gesto que fazemos ressoa e ecoa em todo o planeta. “Vivemos um tempo bastante individual, onde acabaram um pouco os movimentos coletivos como os que aconteceram nos anos 60 e 70. Findou a sensação de lutar por causas”, comenta.

Temos responsabilidade sobre todas as nossas escolhas. Muita gente fecha o vidro no cruzamento quando vê a molecada pedindo dinheiro, pois fica com medo, acha que não tem nada com isso, mas a gente tem sim. Toda a sociedade está ligada com o que acontece ao nosso redor”, comenta Caio ao ser questionado sobre o peso que a palavra responsabilidade carrega consigo.

Jairo pergunta ao ator como dá para equalizar escola de um lado e trabalho de outro. Ele responde que não tem dificuldade de aprender e que sempre foi bom nos estudos. Sobre o fato de ter iniciado a vida profissional ainda criança, participando de comerciais e séries de televisão, o convidado explica que isso ajudou muito em seu amadurecimento. “A grande responsabilidade dos jovens é estudar e se preparar para entrar no mundo adulto."

Para o ator, a internet é um mundo livre, não um monstro de sete cabeças, e é preciso saber usar a informação ao nosso favor. “Mas o jovem tem que aprender a assimilar e comparar esse conhecimento. E cada vez mais a responsabilidade de aprender é sua. Na faculdade, o professor não vai olhar o caderno para saber se você fez a lição."

Um dos temas do programa é que nem sempre é possível ser 100% honesto. Caio diz que, quando está confuso com uma situação, sem saber o que fazer, ele se coloca no lugar do outro. “Não gosto de magoar e passar por cima de ninguém”, afirma e recomenda que, para a solução de conflitos, a melhor solução é conversar. “Às vezes falar com os mais velhos também ajuda, pois eles têm mais experiência."




E, em uma pesquisa com 6.500 jovens do Brasil todo,
90%
se consideravam honestos!
Mas... 42% passariam por cima de qualquer coisa para atingir algum objetivo;
35% não devolveriam o troco que recebessem a mais,
29% não devolveria uma carteira achada na rua.
Então, o que você acha disso tudo?

Agora vamos conversar...
Uma pequena mentira tem reflexo no mundo?
Como utilizamos a autonomia para nossas escolhas?
Quando o jovem assume a responsabilidade por seus atos?
Se criança não mente, e precisamos amadurecer para falar a verdade... Por que começamos a mentir nesse meio tempo?
As mentiras na internet aumentam?
O lado mentiroso do "jeitinho brasileiro" vale a pena?
Como você age ou agiria em uma situação difícil? Mentiria ou falaria a verdade?
O que podemos fazer em relação à nossa realidade?



Pode ser difícil ser 100% honesto, mas, vamos tentar, a responsabilidade é nossa!
Vamos?

Chega Mais! domingo, 18 de abril de 2010

Olá, pessoal!
O CEDUC, esteve no segundo encontro do projeto ECA na Sala de Aula, projeto que temos um carinho enorme, por alguns de nós também ter participado... E o jovem Maurício, que participa do projeto de 2010 conversou um pouquinho com a gente.
Vamos conferir?


video


E você, querido leitor do Chega Mais, tem curiosidade sobre seus direitos e deveres?
Também fica nervoso quando tem que interagir com pessoas novas?
Tem uma dificuldade em comunicação com pessoas "ao vivo"?
É um apaixonado pela leitura? E qual a preferência?
A Droga da Obediência, do Pedro Bandeira... Já leu?
Qual a importância de ter consciência das próprias atitudes?
Sobre a mídia, como pode nos ajudar e como pode atrapalhar?
Por que tantas coisas ruins aparecem na mídia? É ruim que seja assim?
Como nós podemos utilizar a mídia para favorecer o aprendizado em geral?

Bom, nós do CEDUC, apostamos em utilizar a comunicação para a educação, para o aprendizado, o nosso e o de vocês. Sempre podemos aprender mais. Daí o termo Coletivo Educomunicador, ou só CEDUC.
E para isso acontecer de uma forma melhor ainda... Dê sua opinião!

Chega Mais!

Dizemos que a mentira tem pernas curtas porque sabemos que ela não costuma ir muito longe. Cedo ou tarde, ela cambaleia, tropeça e acaba sendo alcançada pela verdade. Isso acontece por, pelo menos, dois motivos: primeiro, porque quando mentimos fazemos mais esforço do que quando dizemos a verdade,em função do dilema moral envolvido na questão,ainda que inconsciente. Segundo porque, quando precisa ser repetida, a mentira perde força, sendo contaminada por fragmentos da verdade ou por outra mentira, pois sua base não é a realidade, e sim a ficção.
Mentir significa “inventar” uma verdade que não existe, e não “relatar” a verdade como ela é. A mentira começa com a pessoa, a verdade é anterior a ela. Quando mentimos criamos uma realidade que não se baseia em nenhum outro fato, a não ser nossa própria criatividade, o que não é suficiente para sustentar o que foi dito, caso o assunto não se esgote rapidamente. O candidato a emprego que mente sobre sua experiência e qualificações será desmascarado pela inconsistência do currículo ou pela incapacidade de atender às expectativas que criou. E por aí vai. Fatos que demonstram o insustentável peso da mentira podem ser colhidos aos montes na história de vida de quase todas as pessoas – de adolescentes a presidentes da república.


' Por que mentimos?

Essas são questões da ética humana que interessam a várias correntes do pensamento. A psicologia explica a mentira pelo mecanismo de defesa, a sociologia pela busca do poder, a filosofia pela imperfeição humana e a religião pela compulsão ao pecado. As explicações, entretanto, quase nunca justificam a mentira ou desculpam o mentiroso.
As motivações são diversas, o que pode ser percebido até na literatura. Podemos examinar um filme e uma novela que abordam bem essa faceta do ser humano, com suas conseqüências. O filme: O Fabuloso Destino de Amélie Poulain*, dirigido por Jean Pierre Jeunet – uma versão moderna de Poliana, a garota que sempre via o lado bom das situações. Em uma das cenas, Amélie conta a Joseph que Georgette está apaixonada por ele e, para Georgette, afirma que Joseph também está interessado nela. Duas mentiras, pois eles não haviam dito nada disso, mas nossa heroína percebeu a possibilidade de aproximar os amigos que sofriam, ambos, do medo da rejeição. A conseqüência foi que essa “mentira amorosa” encorajou o casal a se relacionar, o que acabou interferindo, para melhor, no clima do bar que todos freqüentavam.
A novela: Beto Rockefeller**, escrita por Bráulio Pedroso e produzida pela TV Tupi em 1968, marcando o início da moderna teledramaturgia brasileira. O personagem, Beto, interpretado por Luis Gustavo, é um rapaz suburbano de São Paulo, inconformado com sua pobre condição social. Por ser simpático e bem falante, consegue ser aceito por grupos de jovens da elite paulistana, que desconhecem sua origem. Durante toda a trama ele se faz passar por filho de uma família rica e aristocrata. Inventa histórias, mente descaradamente, arma tramas incríveis e, dessa forma, vai se dando bem. Até que, é claro, a casa cai, os amigos descobrem sua verdadeira identidade e o anti-herói sofre as conseqüências de sua impostura.

Quais as semelhanças e as diferenças entre essas duas histórias? A semelhança é que os dois personagens-tema usam mentiras para atingir seus objetivos. A diferença fica por conta da qualidade dos objetivos. Enquanto Amélie inventa lorotas com a intenção de ajudar seus semelhantes, Beto só quer se dar bem. Nos dois casos, ambos foram desmascarados, com a diferença que Amélie foi ainda mais querida por seus amigos, enquanto Beto foi defenestrado por todos.

Mas que força é essa que nos impele a não sermos sempre fiéis aos fatos? Há mentiras justificadas ou não? A verdade, doa a quem doer, sempre é a melhor opção?

"
Todo mundo mente para evitar sofrimento. Mas a mentira acaba gerando um desgaste enorme e, no fim das contas, vale a pena ser evitada"

_____________________________ ... ___________________________________

*
Eu assisti o filme 'O Fabuloso Destino de Amélie Poulain' e é muito fofo,as fotografias são lindas e a história encantadora,o filme se passa na França e basicamente começa quando ela
encontra uma caixa escondida no banheiro de sua casa e, pensando que pertencesse ao antigo morador, decide procurá-lo ­ e assim que o encontra e ao ver que ele chora de alegria ao reaver o seu objeto,ela fica impressionada e adquire uma nova visão do mundo. Então, a partir de pequenos gestos(e algumas mentiras), ela passa a ajudar as pessoas que a rodeiam, vendo nisto um novo sentido para sua existência.Além de tudo o filme é bem colorido e até engraçado,pra quem ainda não assistiu,vale a pena conferir!

**Infelizmente não tive o prazer de assistir essa novela (novelas antigas despertam minha atenção),porém,minha avó assistiu e disse que era muito boa,e que inúmeras vezes torcia para que o descobrissem,segundo ela,era injusto ele mentir para os 'amigos' e pessoas que gostavam dele.


ps. a parte da minha avó é mentira (mas ficou fofo)

http://vidasimples.abril.com.br/edicoes/027/atitude/conteudo_237877.shtml
http://www.uteisefuteis.com.br/as-mentiras-mais-contadas-e-que-sao-pura-verdade/
http://www.adorocinema.com/filmes/amelie-poulain

Chega Mais!

Pra descontrair um pouco, afinal, ser sempre sério não dá, né?! Postamos algumas das mentiras clássicas mais usadas, veja algumas:

Casal sem filhos – Visite-nos sempre. Adoramos suas crianças.
Advogado – Esse processo é rápido.
Ambulante – Qualquer coisa volta aqui que a gente troca.
Anfitrião – Já vai? Ainda é cedo!
Aniversariante – Presente? Pra mim? Não precisava…
Bêbado – Sei perfeitamente o que estou dizendo.
Chefe – Sua promoção já está a caminho.
Corretor de imóveis – Em 6 meses colocarão água, luz e telefone.
Delegado – Tomaremos providências.
Dentista – Não vai doer nada.
Desiludida – Não quero mais saber de homem!
Devedor – Amanhã, sem falta!
Encanador – É muita pressão que vem da rua.
Filha de 17 anos – Dormi na casa de uma colega.
Filho de 18 anos – Antes das 11 estarei de volta.
Gerente de banco – Trabalhamos com as taxas mais baratas do mercado.
Inimigo do morto – Era um bom sujeito.
Jogador de futebol – Vamos continuar trabalhando forte.
Ladrão – Isso aqui foi um homem que me deu.
Mecânico – É o carburador.
Muambeiro – Tem garantia de fábrica.
Namorada – Pra dizer a verdade, nem beijar eu sei…
Namorado – Você foi à única mulher que eu realmente amei.
Noivo – Casaremos o mais breve possível!
Pobre – Se eu fosse milionário dava dinheiro para todo mundo.
Recém-casado – Até que a morte nos separe.
Sapateiro – Depois alarga no pé.
Sogra – Em briga de marido e mulher não me meto.

E aí, sabe mais alguma? Conta pra gente!

Chega Mais! segunda-feira, 12 de abril de 2010

Olá!
No sábado dia 10, entrevistamos Guilherme Cechelero, e conversamos um pouco sobre a mentira.
Se você sempre sonhou em saber o que um sociólogo baixinho , mas muito querido e divertido pensa sobre a mentira... O CEDUC REALIZA SEU SONHO!
Se não é um sonho, mas acha que vale a pena matar a curiosidade, aperta o play e confere!

video


Agora, vamos refletir um pouco sobre esse bate-papo...
  • Todo os seres humanos mentem? É algo inato biológicamente ou é uma tendência social?
  • Como lidamos com a cultura da mentira?
  • Aceitamos e reproduzimos, viveciando as consequências? Ou tentamos mudar nosso contexto a partir de ações individuais?
  • A corrupção do nosso país, é uma grande mentira e ninguém gosta. A não ser os corruptos que estão lá roubando. Mas, de onde vem essa mentirada toda?
  • Será que as grandes mentiras provém das mentiras banais e normais do dia-a-dia?
  • Porque é tão difícil ser completamente sincero? É inevitável 'perder' pensamentos ao traduzir o nosso interior?

" O mundo verdadeiro passível de ser alcançado pelo sábio, pelo devoto, pelo virtuoso. - Ele vive no interior deste mundo, ele mesmo é este mundo. (...) O mundo verdadeiro - inatingível? De qualquer modo, não atingido. E, enquanto não atingido, também desconhecido. Suprimimos o mundo verdadeiro: que mundo nos resta? O mundo aparente, talvez?... Mas não! Como mundo verdadeiro suprimimos também o aparente! " ( Nietzsche - Crepúsculo Dos Ídolos Ou Como Filosofar Com O Martelo, p. 11-12 )

" O homem não quer a verdade. Ele quer as conseqüências da verdade, que são agradáveis e conservam a vida, diferentemente das conseqüências da mentira. Ou seja: tolera a verdade, mas, tolera sua conseqüência. " http://www.webartigos.com/articles/10202/1/Nietzsche--E-O-Conceito-De-Verdade-E-Mentira-/pagina1.html

Jefferson Cristian Machado; terça-feira, 6 de abril de 2010


Olá, pessoal, com grande prazer iniciamos hoje o projeto CEDUC (Coletivo Educomunicador) através do blog Chega Mais que terá como objetivo atrair conhecimento através de reflexões sobre os mais variados temas que compõem o nosso cotidiano e nossas vidas como um todo. Utilizando vídeos, textos e imagens o objetivo do Chega Mais é interagir de forma mútua com os jovens buscando crescimento em áreas como cultura, política e educação social, além de fazê-lo desenvolvendo o senso crítico visando um mundo melhor compreendido e uma vida justificável por e para todos.

Para a abertura do blog foi escolhido um texto sobre a mentira, já que algum mentiroso disse que o dia primeiro deste mês havia sido tornado feriado mundial para homenageá-la, mas não foi, então nós a homenagearemos de forma atrasada ao nosso modo, refletindo. A mentira não merece ser avistada como algo que mereça homenagens e bons créditos, mas é algo tão corriqueiro na vida humana chegando a ser criada por cada pessoa considerada comum (sem distúrbios mentais) em média 3 vezes a cada 10 minutos de conversa, tornando-se a base e motivação para muitas vidas e ações, então, por isso, merece nossa atenção.

Aguardem as próximas postagens!
Muito obrigado e ótima leitura, Chega Mais!

Texto de Milla Pereira (www.millapereira.prosaeverso.net):

 A MENTIRA!


O que é a Mentira...
Omissão dos fatos?
Contar apenas meias verdades?
O silêncio consciente, com o único objetivo
de causar transtornos,
mal entendidos, maledicências?
Segundo o Dicionário “Aurélio”
entre outros sinônimos,
a Mentira é classificada como:
(afirmação contrária à verdade; engano propositado...).
Mas, quem mente, afinal?!
Aquele, considerado por todos,
como um mentiroso contumaz,
conhecido e apontado por muitos
e desacreditado por todos?
O que prefere se calar,
diante da gravidade de determinadas
situações, para não se envolver, porque
“não tenho nada com isso...”?
O Político Profissional, quando,
em campanha política,
promete o que sabe, de antemão,
que não terá condições de cumprir?
A mulher, que omite certos fatos,
considerados por ela, corriqueiros,
e prefere se calar diante de seu marido?
Ou o homem que esconde “quase” tudo de sua mulher!?...
Todos nós, em determinados momentos
em nossas vidas... mentimos.
Às vezes, mentimos todos os dias.
Não importa qual seja a intenção,
os motivos alegados por sua própria consciência.
Somos todos mentirosos...
Por falta de opção. Por compaixão.
Para nos escondermos de nós mesmos.
Não interessa...
Talvez fosse ótimo praticarmos,
no nosso dia a dia,
o hábito de olharmos para trás
e verificarmos o rastro deixado
por nossas mentiras.
Quanto mal causamos, a nós mesmos
por não termos dito a Verdade.
Muitos de nós, por medo ou fraqueza.
Então, por esses momentos
De fragilidade interior,
Causamos dor aos outros,
Provocamos a ira em alguém
A quem muito amamos e,
consequentemente, por vezes,
Somos acusados, injustiçados,
Desacreditados...
E, a quebra de confiança,
É algo grave e, talvez, irreversível!
a Mentira também pode se transformar
em Calúnia, e provocar um verdadeiro caos,
na vida das pessoas, que são os alvos dos mentirosos!
Nesses casos, “ela” tem um destino certo,
com uma única e definitiva condição:
o prejuízo moral, emocional ou material de alguém.
A língua, além de ser o “órgão
da cavidade bucal, principal da
deglutição, do gosto, e, no Homem,
da articulação das palavras”...
Também é uma arma poderosa,
que pode construir um mito
ou destruir a imagem de alguém!
As Palavras, quando proferidas sem nexo
e sem responsabilidade,
com covardia, insensibilidade
e sem que se analise as conseqüências
que elas podem trazer quando ditas
com maledicência, ironia e maldade,
têm um poder imenso no cotidiano
do ser humano!
Portanto, há que se ter o máximo de cuidado
quando nos dispomos a dizer algo sobre alguém,
quando relatamos uma história,
ou quando repassamos algo que ouvimos.
“Quem conta um conto...aumenta um ponto!”
Na maioria das vezes, as pessoas mentem
sem perceber que o estão fazendo.
Mas há os que mentem, intencionalmente,
com total consciência do mal
que esse ato insano, poderá causar a outrem...
Porém, mentem tanto, e toda uma vida,
que acabam por acreditar nas próprias mentiras.
E há os verdadeiros “Artistas” da Mentira!
Estes são os mais perigosos...
Pois, além de mentirem, o fazem com
tanta maestria, que quem os ouve... acredita!
Não em definitivo, é claro!
Pois ninguém poderá enganar a todos,
por todo o tempo!
Então, quando isso acontecer,
o Mentiroso obstinado, prepotente
e que não está acostumado a ser desacreditado,
não tendo mais público para suas Mentiras,
abandonado e sem ninguém que o ouça,
mentirá para si mesmo!...
E... o que é pior e mais trágico:
Acabará por acreditar nelas!
E, se auto-destruirá,
Com suas próprias mentiras!

    *************************


Milla Pereira Publicado no Recanto das Letras em 25/01/2007
Código do texto: T358750