Vem se informar, vem curtir. Mexe o mouse, fica à vontade! Seu lugar também é aqui! Informação, diversão, cultura num click. Produzido pelo CEDUC.
Rubra sexta-feira, 23 de abril de 2010

Bom dia, boa tarde, boa noite!
Que seja bom, pessoal!
Falando em bom, em coisas boas...

Caio Blat foi nosso entrevistado da semana, falando sobre honestidade!


Não, eu não vou mentir pra vocês.
Mas, o Canal Futura tem um programa com o Jairo Bouer, o "Ao Ponto Remix" onde tem um convidado famoso a cada programa e um tema a ser discutido.
Em um programa desses, Jairo Bouer, Caio Blat e mais uma turma jovem conversaram sobre a mentira! Conversaram também sobre cobrança dos pais, responsabilidade, honestidade... E afinal, qual a nossa parte nisso tudo?

Como estávamos assistindo... Vamos dar um gostinho para vocês!



E quem quiser conferir o programa inteiro, é só acessar: http://www.tvcultura.com.br/aoponto/remix/programas/496
É o link desse episódio do Ao Ponto Remix, com a primeira e a segunda parte! A segunda é a que fala mais sobre a mentira.


" Ele diz que, em vinte anos de carreira, o ator Caio Blat representou a juventude no cinema, no teatro e na televisão. Para o ator, cada gesto que fazemos ressoa e ecoa em todo o planeta. “Vivemos um tempo bastante individual, onde acabaram um pouco os movimentos coletivos como os que aconteceram nos anos 60 e 70. Findou a sensação de lutar por causas”, comenta.

Temos responsabilidade sobre todas as nossas escolhas. Muita gente fecha o vidro no cruzamento quando vê a molecada pedindo dinheiro, pois fica com medo, acha que não tem nada com isso, mas a gente tem sim. Toda a sociedade está ligada com o que acontece ao nosso redor”, comenta Caio ao ser questionado sobre o peso que a palavra responsabilidade carrega consigo.

Jairo pergunta ao ator como dá para equalizar escola de um lado e trabalho de outro. Ele responde que não tem dificuldade de aprender e que sempre foi bom nos estudos. Sobre o fato de ter iniciado a vida profissional ainda criança, participando de comerciais e séries de televisão, o convidado explica que isso ajudou muito em seu amadurecimento. “A grande responsabilidade dos jovens é estudar e se preparar para entrar no mundo adulto."

Para o ator, a internet é um mundo livre, não um monstro de sete cabeças, e é preciso saber usar a informação ao nosso favor. “Mas o jovem tem que aprender a assimilar e comparar esse conhecimento. E cada vez mais a responsabilidade de aprender é sua. Na faculdade, o professor não vai olhar o caderno para saber se você fez a lição."

Um dos temas do programa é que nem sempre é possível ser 100% honesto. Caio diz que, quando está confuso com uma situação, sem saber o que fazer, ele se coloca no lugar do outro. “Não gosto de magoar e passar por cima de ninguém”, afirma e recomenda que, para a solução de conflitos, a melhor solução é conversar. “Às vezes falar com os mais velhos também ajuda, pois eles têm mais experiência."




E, em uma pesquisa com 6.500 jovens do Brasil todo,
90%
se consideravam honestos!
Mas... 42% passariam por cima de qualquer coisa para atingir algum objetivo;
35% não devolveriam o troco que recebessem a mais,
29% não devolveria uma carteira achada na rua.
Então, o que você acha disso tudo?

Agora vamos conversar...
Uma pequena mentira tem reflexo no mundo?
Como utilizamos a autonomia para nossas escolhas?
Quando o jovem assume a responsabilidade por seus atos?
Se criança não mente, e precisamos amadurecer para falar a verdade... Por que começamos a mentir nesse meio tempo?
As mentiras na internet aumentam?
O lado mentiroso do "jeitinho brasileiro" vale a pena?
Como você age ou agiria em uma situação difícil? Mentiria ou falaria a verdade?
O que podemos fazer em relação à nossa realidade?



Pode ser difícil ser 100% honesto, mas, vamos tentar, a responsabilidade é nossa!
Vamos?

2 comentários:

Daniel Silva disse...

o caio blat é um bom ator. parabéns pela entrevista.

abraço

♫ Angélica ♥ Kawai ♪ disse...

Em um mundo de pessoas acomodadas de mentiras e "ocultismo" fica dificil mesmo ser honesto 100%...
A questão é como usar as "armas" deles sem se transformar em um espirito de porco...

Postar um comentário